17 junho 2008

indignação - volume II


este post é o segundo da série. ele nem era previsto desse jeito, mas aconteceu hoje de manhã e foi sensacional!

hoje uma senhora de 88 anos na padaria e ela veio conversar comigo, dizendo que estava morrendo de frio. olhei bem pra ela. pequena e magrinha, miúda mesmo! cachecol, trenchcoat, maquiagem toda borrada porque ela não deve enxergar direito mais. mas maquiada às 8h da manhã, tomando um café com leite na padaria.

ela comentou do frio e me perguntou se eu era casada. eu disse que não. daí ela falou que, então, talvez eu não entenderia. que o marido dela nem ligava se ela estava com frio, que, apesar dele ser mais velho, ele era homem e ela era muito pequena e magra, então devia cuidar dela. mas que, ao contrário, quando ela reclamava, ele dizia que também estava e que: fazer o que, né?

fico pensando o quanto ela estava indignada com essa história pra desabafar com estranhos na padaria. claro que imagino que o marido deva ser um velhinho bem velhinho também morrendo de frio. mas sou daquelas que acha que mulher não pode coçar o saco e que homem tem que ser meio protetor, tem que cuidar... nem que seja pra manter alguma diferença entre os sexos.

Um comentário:

Vania Coelho disse...

Boa poesia, gostei bastente, também sou poeta e penso que quem cria arte com palavras exterioriza verdades.